Lolita - Resenha

Depois de 65 anos, o clássico russo ainda traz à tona temas que permaneceram sensíveis na sociedade.

Incipit consiste nas primeiras palavras de um texto literário. “Lolita”, livro do escritor Vladimir Nabokov, possui um dos mais marcantes e belos incipits da literatura: "Lolita, luz de minha vida, labareda em minha carne. Minha alma, minha lama. Lo-li-ta: a ponta da língua descendo em três saltos pelo céu da boca para tropeçar de leve no terceiro, contra os dentes. Lo. Li. Ta”.

Mesmo com essa obra sendo um dos grandes clássicos da literatura mundial, pode-se dizer que foi um dos livros mais mal interpretados de todos os tempos. O tema principal desse livro é a pedofilia, mas muitos o classificam como uma história de amor. Tal fato ocorre, principalmente, por conta de o narrador manipular o leitor, tanto contando fatos a partir do seu distorcido ponto de vista quanto a partir de seu domínio na arte da retórica, o que resulta em um belo linguajar e em uma grande romantização e monumentalização de ações abjetas, como o estupro.


Humbert Humbert, narrador e personagem da obra, conta sua história com Dolores Haze (Lolita), sua enteada de 12 anos de idade. Ao longo da narrativa, Humbert sempre tenta se mostrar inocente no que diz respeito aos seus desejos sexuais, colocando a culpa em seu passado conturbado e também em Lolita, afirmando que, na verdade, é ela, uma criança, quem o provoca maliciosamente o tempo todo com o “seu jeito de ninfeta”.

Muitos fatos tendem a afastar leitores deste livro. Entre eles está o próprio narrador que é considerado repulsivo e odioso e que, por ser também parte da trama, não é um narrador confiável. Outro motivo de afastamento é o tema repudiante: abuso de menores. Tais fatos, no entanto, não são motivos para descartar essa leitura, já que a escrita de Nabokov é maravilhosa por conta de possuir um grande toque de lirismo, como pode ser notado no incipit, no qual há até mesmo aliterações (repetição de som consonantal).


Por fim, é importante ressaltar a importância dessa obra para notar como a tendência doentia de leitura desse livro com olhos românticos reflete uma cultura da pedofilia presente em nossa sociedade, como a sexualização e erotização de crianças, sobretudo de meninas, e a alta responsabilidade sexual dada aos menores de idade.


Nota da crítica:

Lolita está disponível para compra tanto física quanto online em diversas lojas. Vale a pena pesquisar!