Favoritos da Cine-Stylo

Sobre a arte de amar...



Uma das tarefas mais difíceis para um crítico talvez seja a que mais condiz com seu papel: mergulhar profundamente em seu coração, naquilo que mais ama (afinal, a crítica é, como já disse Jean Douchet, “a arte de amar”). Ou seja, para um crítico, escrever sobre seus filmes favoritos pode ser árduo. Digo da minha experiência: a sensação é de uma vulnerabilidade infantil diante da grandeza de uma obra que parece carregar o cinema em si, porque todo grande filme “é o cinema”, como diz o jargão. Vertigo é o cinema, Persona e Gritos e Sussurros são o cinema, Ran, Os Incompreendidos, Paixão dos Fortes, O Dinheiro e tantos infinitos outros são tudo o que o cinema é - e por isso continuamos assistindo a filmes, em busca de mais um que seja, novamente, o cinema, que está em constante renovação a cada obra prima que toca a sensibilidade de uma geração de críticos.


Mais recentemente, por exemplo, Retrato de Uma Jovem em Chamas e Era Uma Vez… Em Hollywood, ambos de 2019, alcançaram posições privilegiadas dentre o juízo de alguns de nós, marcando presença na lista de favoritos que elaboramos aqui na Cine-Stylo. Outros filmes que se estabeleceram no início dos anos 2000, como o amado Cidade dos Sonhos, também se fizeram presentes, enquanto as obras primas de sempre como Ladrões de Bicicleta mantém sua soberania inabalável. Dentre os textos de nossos redatores, temos desde críticas de um filme consagrado como Cidadão Kane até explorações sociológicas de obras fora do “cânone cinéfilo”, como Show de Truman. Vale ressaltar que nossa equipe não precisou escolher escrever sobre, necessariamente, algum filme que tenha marcado posição na lista final: sua escolha, como era o objetivo de todo esse especial, deveria vir do coração, de algum de seus filmes favoritos. Por isso, talvez seja até mais interessante e revelador do que a lista final conferir o ranking individual de cada um dos críticos.


O fato é que, independente da época e do lugar que os filmes analisados ocupam no panteão cinéfilo, cada crítico que participa deste especial precisou enfrentar e vencer esta tarefa tão complicada: racionalizar, de algum modo, a beleza de seus filmes favoritos para transpor sua experiência em palavras. Uma busca difícil e mesmo utópica. Mas todos nós tentamos e, como editor, posso dizer, com muito orgulho, que sucedemos - dentro do máximo possível - na tentativa de colocar nossos corações nas palavras que se seguem em cada texto de nosso singelo especial. Uma proveitosa leitura e bons filmes a todos!


Davi Pieri,

co-editor e crítico da Cine-Stylo


11 TEXTOS - 1 novo todos os dias

Todos os textos acompanham a lista de favoritos indivual do seu redator.


CIDADÃO KANE (Orson Welles, 1941) - Por Lucas Tameirão

FALSA LOURA (Carlos Reichenbach, 2008) - Por Davi Alencar

OS INCOMPREENDIDOS (François Truffaut, 1959) - Por Davi Pieri

MAGNÓLIA (Paul Thomas Anderson, 1999) - Por Raissa Ferreira

A ÚLTIMA SESSÃO DE CINEMA (Peter Bogdanovich, 1971) - Por João Lucas Casanova

O HOMEM QUE COPIAVA (Jorge Furtado, 2003) - Por Rodrigo Heber

ESTRANHOS NO PARAÍSO (Jim Jarmusch, 1984) - Por Pedro Porto

CABRA MARCADO PARA MORRER (Eduardo Coutinho, 1984) - Por Fabiana Lima

A ESPOSA SOLITÁRIA (Satyajit Ray, 1964) - Por Lucas Nascimento

O SHOW DE TRUMAN (Peter Weir, 1998) - Por Adam William

A ROSA PÚRPURA DO CAIRO (Woody Allen, 1985) - Por Ana Rita Meneses


LISTA FINAL

Os favoritos dos redatores da Cine-Stylo

  1. Cidade dos Sonhos (2001), de David Lynch

  2. Vertigo (1958), de Alfred Hitchcock

  3. Os Incompreendidos (1959), de François Truffaut

  4. Amor À Flor da Pele (2000), de Wong Kar-Wai

  5. Amores Expressos (1994), de Wong Kar-Wai

  6. Retrato de Uma Jovem em Chamas (2019), de Céline Sciamma

  7. Jogo de Cena (2007), de Eduardo Coutinho

  8. Fogo Contra Fogo (1995), de Michael Mann

  9. Ladrões de Bicicleta (1948), de Vittorio de Sica

  10. Cidadão Kane (1941), de Orson Welles

  11. Companheiros: Quase Uma História de Amor (1996), de Peter Chan

  12. O Dinheiro (1983), de Robert Bresson

  13. A Felicidade Não Se Compra (1946), de Frank Capra

  14. A Vila (2004), de M. Night Shyamalan

  15. Era Uma Vez Em...Hollywood (2019), de Quentin Tarantino

  16. Taxi Driver (1976), de Martin Scorsese

  17. O Poderoso Chefão (1972), de Francis Ford Coppola

  18. Um Tiro na Noite (1981), de Brian de Palma

  19. Cabra Marcado Para Morrer (1984), de Eduardo Coutinho

  20. Barry Lyndon (1975), de Stanley Kubrick


Para mais críticas, artigos, listas e outros conteúdos de cinema fique ligado na Cine-Stylo, a coluna de cinema da Singular.